Uma piquena partilha - segundo acto

E continuamos nos Torres...
Antes de mais quero agradecer ao meu irmão Miguel Torres pelo facto de me aceitar no grupo “dele”, quero eu dizer que, poderia ser estranho para ele eu entrar assim de repente no mundo dele e começara dar-me com as mesmas pessoas que ele, mas não o Mike foi impecavél e para que eu me sentisse bem dentro da AASUL a aprovação dele era essencial (tas aqui bro’).
Agradeço também à AASUL por me ter recebido de braços abertos, senti-me integrado logo na primeira hora em que estive com o grupo. O jantar em casa da Mariana (que estava óptimo eheh) reforçou a minha opinião em relação à AASUL, são um grupo fantástico, cheio de força, são todos impecáveis, já vos adoro a todos e fico logo bem disposto só de pensar que vou fazer alguma actividade que tenha a ver com a AASUL, seja ir a uma reunião, uma noite de oração, ir para a sala da AASUL chatear as telefonistas da Lúsiada e cravar patrocínios às empresas (podem ter descoberto aqui um telefonista, atenção!).

O que é que eu venho trazer de bom à AASUL? Bem, trago sempre comigo um canivete Suíço, um sorriso e boa disposição YUPI!!! A sério, acho que posso dar à AASUL o que todos os que fazem parte dela dão, apenas venho ser mais um, e como se costuma dizer, “quantos mais melhor!”
O grande objectivo que me fez vir aqui parar é a vontade de ajudar, fazer a diferença, ver o sorriso que uma velhinha me deu depois de eu lhe ter oferecido uma flor, são estas pequenas acções que podem marcar uma pessoa, e se conseguirmos marcar assim o maior número de pessoas seremos felizes, não porque ficamos bem vistos perante a sociedade, não porque se fizermos boas acções temos lugar garantido no céu, mas porque simplesmente nos faz sentir bem e dá-nos paz interior. Espero poder ter a possibilidade de fazer uma actividade para poder começar a tocar as pessoas e fazer a tal diferença no dia de alguém, por mais pequena que possa ser.

(peço desculpa se tornei este texto confuso, tenho tendência para isso, o que na minha cabeça faz sentido no “papel” deixa de o fazer...)

Beijinhos e abraços e viva a AASUL que já acendeu uma luz na minha vida!

Vasco Torres

5 comentários:

Anónimo disse...

Querido Vasco!
Se o texto está confuso não sei, mas eu percebi tudo perfeitamente.
Admiro a força com que entras-te no fim de semana, sem nos conheceres bem, tão bem disposto e a vontade, pronto a ajudar, e com as ideias e valores bem vinculados! Na minha opinião vai ser MUITO bom para aasul tu entrares! Adorei conhecer-te neste fim de semana de trabalho, és mesmo boa pessoa, um exemplo! Para além de que me farto de rir ctg! Gostei da partilha ;)
Um grande beijinho
Xica

Anónimo disse...

Vasco Torres - gosto muito de te ver por estas bandas, a pesar de, sempre que digo o teu nome, ficar algo baralhada da minha cabeça - vasco? torres? - é uma mistura de vasco villas com miguel torres... será que estou a dizer bem?
Enfim, depois deste pequeno devaneio, quero dizer-te - e isto serve para todos os novos - que é um prazer para a AASUL receber gente nova e pronta a trabalhar, com espírito positivo, à caça de sorrisos:). Prazer maior ainda, é ver-te já tão à vontade, num grupo que conheces à pouco mais de uma semana - até já partilhas no blog! E que partilha... estou como a xica: não sei se está confuso, mas todos percebemos muito bem o que queres dizer.
Resta-me só dar-te os parabéns pelo trabalho que sei que fizeste em Vila Viçosa - e espero que este começo se prolongue por muitos e bons anos.
E que a luzinha não se apague nunca!;)
Beijinho,
Mariana Góis

manel disse...

Grande Vasco! (ou amigo índigo, como preferires|)
Gostei muito de ler esta tua partilha, ficamos muito contentes por saberes que estás a gostar muito da tua experiência na AASUL. Fico contente que venhas abrilhantar o convívio com mais uma dose de humor "à lá torres" e que tragas o canivete, pois pode ser sempre preciso assaltar alguém...
Espero que continues.

Vasco disse...

Vasco, tenho a dizer que dificulta-me seriamente a manutenção da minha reputação com a tua entrada na Asul. Para além de dizerem que somos iguais, o nosso nome é comum a ambos, o que faz com que a gataria te confunda comigo e afinal o Vasco de quem tao bem ouvem falar, afinal é um tipo com barba que vem do ghetto.

Ainda assim, como grande exemplo de ubuntu que sou, passo o meu testemunho para ti, na confiança de que onde estiver um Vasco na Asul, a mesma estará em segurança! O "Vasco" é a figura Universal, humildade e honesta que fez sempre parte da ASUL desde os primórdios. Houve inclusivamente, um indivíduo de nome Vasco que tocou pandeireta no coro da ASUL durante muitos anos. A Asul viveu momentos de glória nesses anos!

Eu aposto que para o ano mandas um xuto no cu do Miguel Maria, e passas para a frente na direcção. Tranquilamente..

Somos incríveis. Até aposto que há ninas a quererem ter o nosso nome.

Já dizia Vasco Pessoa: "O homem sonha, a obra nasce.."

Anónimo disse...

Apenas a referir: a passagem de testemunho de Vasco para Vasco deve incluir alguns conhecimentos de viola e não deve impedir a presença do primeiro nos convívios asuis, só porque está lá outro Vasco.
Venham mais Vascos, são bom material asul. Mas não mandem embora os antigos. Pois a asul precisa de muitos Vascos.
Tenho dito!